O curso de Engenharia Mecatrônica da PUCPR é pioneiro no Estado e, desde 1998, forma competentes profissionais, sempre atualizado de acordo com as tendências tecnológicas. A proposta de uma matriz curricular moderna está alinhada à Indústria 4.0, garantindo posicionamento competitivo no mercado de trabalho. Os estudantes têm a oportunidade de desenvolver a sua aprendizagem com base em projetos em diversas disciplinas como Robótica Autônoma e Robótica Colaborativa, Internet Industrial das Coisas (IIoT), Inteligência Artificial e Aprendizagem de Máquina.

O curso prepara você para:

– Projetar sistemas e componentes mecatrônicos, contribuindo para a otimização de processos
– Propor soluções para o desenvolvimento sustentável da sociedade, de forma colaborativa, profissional e ética
– Avaliar o impacto das soluções mecatrônicas nos contextos global, econômico, social e ambiental

Engenheiros Mecatrônicos são multi e interdisciplinares

Não são apenas as áreas da mecânica e eletrônica que fazem parte do dia a dia do profissional. Manufatura aditiva, IoT, Inteligência Artificial, Robótica Colaborativa, Realidade Aumentada e muitos outros temas demonstram que o Engenheiro Mecatrônico é multi e interdisciplinar, inovador e criativo. O profissional propõe não só soluções industriais, mas também sociais, como próteses e outros sistemas que auxiliam a sociedade.

E o mercado como vai?

A Engenharia Mecatrônica é a tendência para a área tecnológica. A 4ª Revolução Industrial, ou Indústria 4.0, precisa muito desse profissional versátil e criativo que aumentará a produtividade dos negócios. A indústria de manufatura, como a automobilística e de bens de consumo, é uma das maiores empregadoras, devido à utilização, cada vez maior, de sistemas automatizados e robotizados. Contudo, as áreas de saúde, alimentação, agronegócio e serviços estão incorporando os sistemas mecatrônicos em benefício da qualidade e sustentabilidade.

O diferencial está no desenvolvimento

A infraestrutura do curso está organizada de forma a promover a aprendizagem baseada em projetos. Isso faz com que os estudantes passem por um processo completo de formação para o mercado de trabalho. Os laboratórios são ambientes colaborativos, compostos por tecnologias encontradas nas indústrias, como tecnologias para manufatura, indústria de processos, manufatura aditiva, robótica colaborativa e móvel e acionamentos mecatrônicos. Além disso, o corpo docente é composto por mestres e doutores, com efetiva participação de professores de Programas de Pós-Graduação, que colaboram na disseminação da pesquisa e inovação, como o Programa Institucional Bolsas de Iniciação Tecnológica e de Inovação (PIBITI).
O curso também busca a integração com o mercado, por meio de parcerias estratégicas com empresas do setor.